Brunello di Montalcino – Por que esse vinho é tão importante?

Ninguém precisa ser expert em vinho para ter ouvido falar em Brunello di Montalcino. Mas nem todos sabem o porquê desse vinho ser tão importante. E por isso, resolvemos contar a sua história e explicar porquê ele é considerado o vinho mais emblemático da Itália.

Ninguém precisa ser expert em vinho para ter ouvido falar em Brunello di Montalcino. Mas nem todos sabem o porquê desse vinho ser tão importante. E por isso, resolvemos contar a sua história e explicar porquê ele é considerado o vinho mais emblemático da Itália.

Primeiro, é preciso saber que todos os Brunellos são feitos exclusivamente com a uva Sangiovese Grosso e cultivadas nos vales ao redor de Montalcino.

Essa é uma cidade Toscana clássica, produtora de um vinho feito 100% com a uva símbolo da região. Mas a Sangiovese, que também é a uva tinta mais cultivada da Itália, mostra todo o seu potencial em Montalcino.

Com relação as suas características, o vinho Brunello di Montalcino possui uma cor rubi tendendo ao grená. Seus aromas são intensos e com notas frutadas e florais. Nele, percebe-se ainda cogumelos, madeira, baunilha.

Já no paladar, apresenta taninos acentuados e alta acidez, normalmente com corpo médio e sabores de amoras, cerejas negras, chocolate, couro e violetas.

Acima de tudo, é um vinho de grande evolução. Seu potencial se revela com o envelhecimento. Inclusive, uma de suas maiores qualidades é o potencial de guarda, suportando facilmente 10 anos, e muitos rótulos aguentando 30 anos ou mais de guarda.

 

Como os Brunellos são produzidos?

O Brunello de Montalcino foi um dos primeiros vinhos, junto ao Barolo do Piemonte, a ter a formalização do DOCG, em 1980.

De acordo com o disciplinare di produzione, documento que regulamenta a produção, os Brunellos devem ser feito apenas com a uva Sangiovese e envelhecidos por no mínimo quatro anos (ou cinco para os vinhos Riserva). Dos quais, dois devem ser em carvalho. Por fim, o vinho deve ser engarrafado, no mínimo, quatro meses (seis meses para o Riserva) antes de ser comercializado.

O método tradicional inclui um longo envelhecimento em carvalho esloveno, resultando em vinhos complexos, que alguns críticos consideram muito seco e com taninos muito fortes.

Em contrapartida, há uma corrente moderna que usa barricas menores, de carvalho francês, com o objetivo produzir vinhos mais frutados.

As regulações do DOCG exigem que os vinhedos sejam em vales, com boa exposição ao sol e com altitudes que não ultrapassem os 600 metros do nível do mar. De tal forma que as uvas atinjam a maturação e sabor ideal antes de serem colhidas.

E esse clima da região, um dos mais secos e quentes da Toscana, fazem com que as uvas amadureçam, normalmente, uma semana antes do que as uvas de Chianti e Montepulciano.

 

O terroir de Montalcino

Como todos os melhores vinhos, o seu maior diferencial é, sem dúvidas, o terroir. O clima da região é mediterrâneo e os vinhedos se concentram em colinas, de um solo argiloso e rico em calcário. Como resultado, os vinhos possuem toque de mineralidade e estrutura, ao mesmo tempo.

O vento constante serve de proteção contra geadas. O terreno acidentado e o baixo índice pluviométrico evitam o excesso de umidade. A temperatura parece adivinhar os desejos das vinhas: no verão quente o suficiente para o perfeito amadurecimento, no inverno frio o bastante para um ciclo vegetativo perfeitamente ordenado.

 

A história por trás

A uva Sangiovese, de origem Toscana, tem uma história que pode ser traçada ao Império Romano. Já o Brunello de Montalcino, apesar de toda a sua fama atual, possui uma história recente. Mesmo que hajam registros mais antigos de produção de vinho na região, as menções ao Brunello datam do final século XIX.

Após a Segunda Guerra Mundial, a família Biondi-Santi ainda era o único produtor de Brunello e tinha lançado apenas quatro vintages, transformando o Brunello de Montalcino em um dos vinhos mais raros da Itália. No final da década de 1960, a região ganhou o status de DOC e, em 1980, DOCG.

Atualmente, existem mais de 200 produtores de vinhos na região. Mas de qualquer forma, devido aos baixos números de produção e a alta qualidade, os Brunellos de Montalcino continuam sendo um dos vinhos mais procurados e importantes da Itália.

 

Rosso de Montalcino

Considerada a versão “junior” do Brunello, os vinhos Rosso di Montalcino são similares, feitos 100% com uvas Sangiovese. A principal diferença é que, apesar de ter capacidade de envelhecimento, o Rosso di Montalcino é feito para ser bebido jovem. E a sua produção pode ser realizada com uvas de vinhas mais novas de Brunello, ou às vezes em partes dos vinhedos em que a incidência solar é menor. Ao contrário do seu “irmão mais velho”, ele necessita apenas seis meses em carvalho e um ano de envelhecimento antes de ser colocado no mercado.

 

Harmonização 

As características do Brunello di Montalcino fazem com que ele seja um vinho que harmoniza muito bem com carnes vermelhas e de caça. O prato clássico toscano, a bistecca alla fiorentina, vai muito bem com esse vinho. Mas carnes assadas, no geral, funcionam. Os molhos podem ser complexos, com a presença de cogumelos ou trufas. Mas não se esqueça que o Brunello é um vinho especial, então manter o prato mais simples é o ideal – assim você deixa espaço para apreciar todas as nuances complexas do vinho.

Suas notas terrosas harmonizam perfeitamente com cogumelos e trufas, sendo a principal dica para os vegetarianos. O cogumelo Portobello é rico em sabores e textura, tendo estrutura para ser consumido junto à um vinho tão poderoso. Experimente servir os cogumelos em risotos ou com polenta.

Quando for pensar em harmonizar com queijos, escolha os mais potentes como o Pecorino ou Parmesão.

 

Compre o seu Brunello di Montalcino com a gente

Brunello di Montalcino Il Poggione 2015

Esse lançamento na Porto di Vino é um de nossos vinhos mais aguardados. A safra de 2015 de Brunello de Montalcino recebeu nota máxima, as esperadas cinco estrelas, pelo Consorzio del Brunello di Montalcino. E a Tenuta Il Poggione é um orgulho de nosso portfolio. Seu Brunello di Montalcino 2015 amadureceu por 30 meses em barricas de carvalho francês, e recebeu 97 pontos do mais importante crítico de vinhos do mundo, o americano Robert Parker. É complexo, estruturado, refinadíssimo, por isso, um vinho pra ficar na memória.

Para quem quer saber mais sobre a super premiada Tenuta il Poggione, seus Brunellos e outros vinhos, basta dar uma olhadinha no site deles AQUI.

Brunello di Montalcino Il Poggione 2015

Brunello di Montalcino Il Poggione 2014

Um outro vintage da Tenuta Il Poggione, esse Brunello di Montalcino de 2014 foi descrito por Robert Parker como um dos melhores rótulos dessa safra. É um vinho elegante e compacto na boca, com potencial de guarda de dez anos. Possui aromas de mirtilo, ameixa e rosas vermelhas, com um toque de cereja confitada. Um excelente vinho.

Brunello di Montalcino Il Poggione 2014

Outros grandes produtores de Brunello di Montalcino

Quer pesquisar um pouco mais sobre alguns dos produtores de Brunellos mais consagrados? Aqui uma pequena lista de mais alguns nomes:

Saúde!